Pesquisar este blog

Most Popular

TRENDING NOW

no image

A partir da próximva segunda-feira (19), os Correios vão encerrar o serviço de e-Sedex, serviço de encomenda expressa da estatal para produtos adquiridos online. Em nota, os Correios informaram que a mudança faz parte da nova Política Comercial da empresa e que novas postagens de encomendas deverão ser realizadas por Sedex ou PAC.
O fim do e-Sedex estava previsto desde o fim de 2016. Entretanto, o serviço continuava a vigorar por causa de uma liminar obtida pela Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost).
“Além desses serviços (PAC e Sedex), os Correios possuem parcerias com os maiores marketplaces do país e prosseguem com a implantação do novo serviço Correios Log — Comércio Eletrônico, também conhecido como e-Fulfillment, que possibilita à loja virtual ter toda a sua operação de armazenamento, preparação de pedido, postagem e logística completamente realizada pelos Correios, com otimizações operacionais e de custos para os clientes”, informa a nota.

no image

Após a declaração da cantora Marília Mendonça, durante show em Pernambuco neste fim de semana, de que "vai ter sertanejo no São João, sim", em referência às críticas de Elba Ramalho e outros músicos sobre uma suposta invasão dos sertanejos e da falta de representatividade dos ritmos tradicionais nas festas do Nordeste, o músico Alcymar Monteiro divulgou um áudio com duras críticas à cantora goiana. Marília rebateu a polêmica que surgiu após a divulgação das grades dos principais polos juninos da região. O forrozeiro, por outro lado, se demonstrou irritado com a colocação da artista. "Por favor, ponha a sua mão na consciência, você vem lá de Goiás invadir nossa praia. Agora vê se a gente canta lá no teu Goiás. Vocês não deixam. É horrível, não gosto, é de mau gosto, não tem nada a ver, querem acabar com nossas tradições. Vão se danar e deixem a gente em paz", disparou.

No áudio, divulgado pelo próprio músico em um grupo do WhatsApp composto por dezenas de representantes do forró, Alcymar chama o trabalho dela de "breganejo horroroso" e "porcaria". "Essa senhora não tem autoridade para falar nada. Como é que ela vem falar que aqui é lugar de sertanejo? Isso é um 'breganejo' horroroso pra cachaceiro, pra quem não tem identidade", diz em trecho. "Não venha dizer que essa porcaria que você canta é sertanejo, que isso é 'breganejo'", critica, citando Tonico e Tinoco e Pena Branca e Xavantinho.

Em entrevista ao Viver, Alcymar disse que a entendeu a fala de Marília Mendonça como uma provocação a Elba Ramalho e aos demais artistas que lutam para garantir o espaço do forró nas programações e confessa que ficou bastante incomodado. "Irritado porque estamos no meio de uma luta pela preservação da nossa cultura (com a campanha Devolva Nosso São João). Ela veio falar mal de Elba, não de uma forma direta, nas estrelinhas, e isso me irritou. Eu achei que era importante responder e dizer que o São João não é uma festa deles, é uma festa nossa", defendeu o artista. "Ela não tem direito de vir na nossa terra para nos humilhar. Essa gente vem para cá para tripudiar com quem está na luta pelo autêntico forró pé-de-serra. A gente não está pedindo show, mas pela representatividade da nossa cultura", afirmou.

Em um dos trechos mais incisivos da gravação, Alcymar avisou que iria "baixar o nível" e disparou: "Não venha aqui no nosso terreiro cantar de galo não, viu? Aqui quem canta de galo é galo, galinha aqui não canta não. Entendeu bem? Tá certo? Vá cantar noutro terreiro, deixa a gente em paz". Sobre essa frase, ele argumenta não ter chamado a cantora de "galinha" no sentido perjorativo e machista da palavra, mas como um reforço de que não teria espaço para a música dela em terras nordestinas. Os "galos", citados no áudio, seriam nomes como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Geraldo Azevedo, Alceu Valença, Zé Ramalho "e toda essa gente que representa muito bem a nossa cultura".
Para Alcymar, a luta não é apenas pelo espaço nos palcos, mas pela garantia de preservação de "tudo o que caracterize a cultura do povo nordestino", como a gastronomia e vocabulário. "Cada povo tem sua cultura, sua maneira de ser, seu 'linguajar'. Eu duvido que ela entenda o que significa pra gente o 'oxente', 'vixe maria', 'pru mode que'", exemplifica. "Vê se a gente canta em Barretos ou no Villa Mix! Eu tenho um recado para eles: como dizia Patativa do Assaré, em um de seus poemas, 'cante lá, que eu canto cá'", continuou.

Questionado sobre o porquê de excluir artistas do que chamou de música "aculturada", ele, mais uma vez, é incisivo: "Na minha concepção, não pode ter sertanejo aqui. A trilha sonora do São João é o forró criado por Luiz Gonzaga, são as sanfonas, triângulos e zabumbas. Aquilo que ela canta, ideologicamente, não existe. É uma música 'americanalhada', com uma letra vulgar e melodia trivial, feita com o propósito de incutir na novas gerações que isso é bonito. Existe música boa e música ruim, e essa é ruim. Uma música que ninguém sabe de onde veio".

Robes Bispo do Nascimento foragido de São Paulo foi preso no dia 11 de junho (domingo por volta das 6:30, por uma Gu da CPAC na fazenda Carrancudo pertencente a Itiúba onde se escondia a alguns meses.

O mesmo tem em seu desfavor um  mandando de prisão por homicídio qualificado cometido em Itaquaquecetuba SP.

Robes (vulgo sulo) foi conduzido e apresentado na DP de Senhor do Bonfim ao delegado plantonista que  lavrou o flagrante.

Informação: Edmilson Alves - Colaboração CPAC

no image

Um homem está preso na delegacia de Campo Formoso, no norte da Bahia, suspeito de estuprar as filhas de 14 e 17 anos.

De acordo com a Polícia Civil, a filha mais velha começou a sofrer abusos do pai em 2015, quando tinha 15 anos. Já a mais nova foi estuprada no início deste ano.

A polícia informou que o homem foi preso na quinta-feira (8). Disse ainda que foram familiares das jovens que procuraram o Conselho Tutelar da cidade, que denunciou os casos à polícia. Não há detalhe de como os familiares das vítimas ficaram cientes dos abusos. A mãe das adolescentes será ouvida pela polícia.

Fonte:_Edenevaldo Alves


Foto: Reprodução

A TV Band não gostou do programa Pânico veiculado no último domingo (4), por exibir no quadro “Poim na Tela”, um personagem imitando o pastor Valdomiro Santiago, com o pênis para fora da calça, quando uma panicat virava de costas para ele. A emissora repreendeu a direção do programa pela exibição da genitália do comediante, que foi ao ar sem tarja. Segundo Blog do Arcanjo, Band enviou um recado aos integrantes do programa ordenando que isso jamais voltasse a se repetir. Vários telespectadores, inclusive, reclamaram da cena. O blog disse ainda que direção da Band não demitiu ninguém, por enquanto, pelo ocorrido.

BN

siga no face